01 junho 2015

Contratar ou não um decorador, um arquiteto?

3

Uma leitora me enviou uma mensagem contando que, junto com seu esposo compraram o primeiro apartamento - parabéns, muitas felicidades -  e com a aquisição junto vieram algumas dúvidas em relação a reforma, mobília e decoração. E me perguntou o que eu achava, se é necessário contratar um arquiteto, design de interiores, decorador...

Bom, como já disse algumas vezes não é minha formação, mas uso este canal para compartilharmos nossas experiências, assim, vou colocar aqui minha opinião em relação ao assunto e como sei que tenho algumas leitoras da área peço que fiquem a vontade para complementar ou corrigir o post nos comentários e claro, se desejar deixem seus contatos.

Arquiteto ou engenheiro, qual escolher para projetar a obra?

Em se tratando de construção nova eu considero indispensável a contratação de um profissional de arquitetura, a experiência e conhecimento dos profissionais da área com certeza evita gastos desnecessários e tornam os projetos mais assertivos. 
Mesmo trabalhando em áreas bem similares, penso que o engenheiro civil e o arquiteto têm papéis diferentes em um projeto, O engenheiro esta voltado para a parte estrutural do projeto, aqueles cálculos todos que vão garantir que a casa fique firme e dure anos e anos. O arquiteto ao meu ver, entra com as questões (as melhores) de definição de terreno, ventilação, estética, definição de espaços internos, iluminação... enfim, toda aquela outra parte que vemos para a casa se tornar realidade.
E em alguns casos, ainda é necessário o engenheiro elétrico, hidráulico, etc... assim, todas as áreas do projeto são supervisionadas.

Quando se trata de reformar um apartamento, deverá considerar se haverá ou não mudanças estruturais. Se for o caso, geralmente e felizmente os condomínios exigem  um responsável técnico pela obra, uma vez que a reforma em um único apartamento pode influenciar no prédio todeo. Troca de revestimento de pisos e paredes, remoção de paredes, abertura de portas... enfim, são mudanças sérias que precisam de acompanhamento para que o resultado, além de agradar aos donos, não cause nenhum dano ao prédio. Então, considero importantíssimo a contratação de um profissional.

E para decorar? 

Decorar você mesma contratar um arquiteto ou um decorador?

Neste caso, acho que depende muito de pessoa para pessoa. Tem pessoas que, apesar de não ter formação na área elas têm um olhar bacana sobre a decoração, entendem bem seu estilo próprio, sua rotina de uso de cada ambiente, sabe do que gostam e do que não gostam. Estas pessoas geralmente conseguem decorar suas casas de forma bem pessoal, aconchegante e com um ótimo aproveitamento.
Ainda assim, algumas dessas pessoas optam por contratar um decorador ou arquiteto para ajudar em pequenos detalhes, acho válido principalmente se não afetar o orçamento familiar.
Então, se você leva jeito, gosta, tem disponibilidade, se joga... 

Esta terceirização tem seus prós e contras como em qualquer situação, acabo pensando que tem mais prós pois um olhar experiente só vem a contribuir.

Os prós é que o profissional depois de uma entrevista consegue definir além do seu estilo a sua expectativa em relação ao projeto finalizado, como você vive, como vai usar o ambiente, enfim... com sua experiência vai criar um projeto que personalizado.
Provavelmente você terá menos dor de cabeça na execução do projeto já que dependendo do tipo de contrato que fizer ele fará a gestão do projeto. A contratação da mão de obra e aquisição de materiais, mobiliários, objetos... será tudo acompanhado, preços podem ser melhores negociados, assim como prazos.

Os contras, como falei anteriormente, ter um orçamento preparado é a base de tudo pois, caso o  seu orçamento seja tão, mas tão restrito que ao contratar o projeto você não tenha verba para executar, aí não adianta, vai ficar com o projeto na gaveta e nada de poder comprar aquele móvel lindo que ele sugeriu.
Outra coisa a avaliar é a afinidade com o profissional, imagine que você dá carta branca e o resultado final fica com cara de show room. Precisa verificar se o profissional tem o hábito de incluir no projeto que aqueles objetos, fotos e outros itens pessoais que tornam a casa um lar. As vezes vemos casas em revistas que parece que não mora ninguém, foi assinado pelo fulano "tal" mas não representa nada. Então, ao contratar tenha certeza que é uma pessoa que pega a sua essência e transmite para o projeto com as boas soluções que tem conhecimento.

E o preço?
Existem diversas modalidade de contratação de serviços de arquitetos e decoradores. Dos mais variados valores e claro, ainda tem a assinatura do arquiteto, quanto mais conhecido, nas mídias ou de celebridades o valor custo sempre será proporcional.

Por hora: durante o período o profissional diz o que fazer ou não fazer nos ambientes em questão. Nem sempre você sai com um projeto nas mãos para poder te conduzir, cuide com isso, afinal, a memória é fraca.
Uma consultoria neste estilo tem um custo médio de R$ 450,00 a hora estimando neste período atender até 3 ambientes.

Por projeto: é a modalidade que a gente sai com o projeto 3D na mão, com definição de espaços, iluminação, projeto de mobiliário... normalmente contempla um número específico de alterações dentro do valor contratado. Em média R$ 1.300,00 por ambiente médio de 10m2.

Acompanhamento de obra: para ter menos dor de cabeça, você pode terceirizar esta etapa ficando a cargo do decorador ou do arquiteto, este honorário pode chegar a 10% ou 15% do valor do projeto contratado,

Como escolher?
Ainda acho que a recomendação é a melhor forma. Quando indicado, recomendado você pode ver o projeto finalizado, conversar com o cliente anterior e sentir como foi o processo, se tudo saiu como previsto, e se não saiu, como foi conduzido.
Outra forma é ver revistas, existem inúmeras revistas de decoração e arquitetura, elas normalmente citam o nome do profissional responsável. E existem diversos tipos de revista, com públicos que variam de acordo com o perfil do público.

Em linhas gerais, eu opto pela contratação do profissional para melhor aproveitamento e uso do espaço, acho um investimento válido principalmente naqueles cômodos que você tem um problema identificado e que não conseguir resolver sozinho.

Por exemplo. Minha sala é retangular, comprida e um pouco estreita. Claro que tenho uma boa noção do que fazer, mas para aproveitar todos os cantinhos inclusive debaixo da escada que é meu home theater eu pretendo contratar um profissional, assim, com certeza será mais assertivo. Já nos quartos não vi esta necessidade, tenho bem claro o que desejo fazer... 

Entenderam, acho que é necessário avaliar cada situação, cada necessidade, cada cômodo, seu orçamento...

* valores pesquisados em Curitiba 

Espero ter ajudado, se não, podem brigar!

Clique em Arquitetura & Construção para ver outros posts da série.

Pin It

Eli Martins

Publicitária que gerencia projetos de TI, mãe de gatos, produtora de conteúdo do Encantada e apaixonada por decoração, arquitetura e design, inquieta e adepta de projetos DIY.

3 comentários:

  1. Eli,

    Não tem como não comentar este post, não é?

    Você está certíssima quanto ao papel do arquiteto e do engenheiro. Nossas formações têm muitos aspectos comuns, mas sem dúvida cada um está mais apto a fazer uma parte do projeto. Eu sempre faço o arquitetônico e trabalho com um engenheiro que faz o estrutural e outro que faz os projetos complementares (hidráulica, elétrica, telefone, antena).

    O bom é atuar sem arrogância e reconhecer o que cada um faz de melhor. É impossível que uma pessoa centralize 100% do projeto e seja boa em tudo.

    Quanto ao projeto de interiores, as atuações de um arquiteto, de um designer ou de um decorador são imensamente diferentes, não só pela capacitação, como também em aspectos legais.

    É ilegal que qualquer pessoa sem o diploma de arquitetura ou engenharia sugira a retirada de paredes ou qualquer modificação na alvenaria, por exemplo. Um decorador também não pode desenhar móveis, tarefa que exige no mínimo a formação em design de interiores.

    O profissional a ser contratado depende muito do serviço que o cliente precisa. Na minha visão, que não é imparcial (eu sei disso), quanto mais especializado, melhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Débora,
      Eu já contava com seu comentário, sempre agregando nos meus posts, obrigada!
      Confesso que deixava equiparado decorador e designer de interiores, não sabia das diferenciações, vou até pesquisar mais.
      Bj.

      Excluir
  2. Oi Eli !

    Super legal sua explicação, muitas vezes as pessoas se perdem nas devidas funções dos profissionais.
    Eu sempre tive vontade de contratar um decorador para "dar um jeito" aqui em casa. Não que eu queira mudar tudo, mas para criar um estilo, eu sou muito básica! Adoro dar palpite, mas quando é comigo as idéias se embaralham. rsrsrs

    Beijos, Renata
    palpitandoemtudo

    ResponderExcluir

Que bom receber sua visita, sinta-se a vontade para voltar e comentar sempre que desejar.
Eu respondo as perguntas aqui no blog, para receber a notificação da resposta você pode clicar na opção abaixo do seu comentário.